segunda-feira, 28 de junho de 2010

Vinte e Nove


Se você fosse contar quantas estações do ano já passou em sua vida, poderias relembrar de tudo que fizestes, em todas elas? Provavelmente não. É bem provável também que você não tenha percebido que ora vive uma estação que lhe proporciona sensações diferentes de todos os dias. Afinal, não ages igualmente em todos eles.

A passagem das estações nos traz à tona que o tempo vai expirando cada vez mais na nossa ampulheta existencial, pois somos parte do mundo, parte da terra, parte do mar, do céu e do ar, de tudo que vive, de tudo que respira... de tudo que se sente.

Pare um momento. Pode ser agora mesmo. Pense no que fez ontem, na semana passada, no mês anterior ou no ano que se passou e que você comemorou a chegada do novo, com brindes, promessas, sonhos, desejos e objetivos. Extraia do seu interior as verdades de hoje, do que realmente fez, do que pretendes ainda fazer.

Desde o dia que chegamos a este mundo, no qual compramos somente um bilhete para vir, sem saber quando e a hora de voltar, vamos celebrando a cada ano uma nova vida, um novo momento, uma nova fase, um novo jeito de viver.

Vamos encontrando ou reencontrando familiares, pessoas que se tornam importantes e necessárias para o nosso crescimento físico, amadurecimento pessoal e desenvolvimento crítico/sensorial.

Nessa viagem, vamos conquistando amigos. Perdendo alguns deles também. Seja para Deus, ou para a distância. Mas nunca os esquecemos. Por que fazem ou fizeram são parte do nosso dia a dia, dos nossos ensinamentos, de nossa felicidade, de nossa cumplicidade.

Trocando experiências que nos permitem construir um conceito do que é vida, vamos nos identificando com coisas diversas, como por exemplo objetos pessoais, músicas, versões astrológicas, pessoas que do nada chegam em sua vida, mas também não é por nada elas permanecem. Nos identificamos com números - afinal quem não tem um número da sorte?

Para os numerólogos, os números obviamente, têm grande influência nas nossas vidas. Podem trazer paz, alegria, felicidade, azar, sorte, prazer, sucesso, dinheiro, amor, paixão, etc... etc... Então pense no seu número da sorte, mentalize com intensidade e deseje que ele lhe traga positividade no dia de hoje e no de amanhã também.

Pois bem, enquanto você lê e eu escrevia, eu também pensava nos algarismos que emocionalmente me provocam boas sensações. Sabe aquele número que você sempre marca num jogo, que vem logo a sua mente, que você se apega, que de alguma forma você sente que tem alguma ligação importante, era justamente nesse número que eu pensava.

Não vou fazer segredo, vinte e nove é um número especial pra mim. Mas tantas coisas importantes marcaram ou aconteceram num dia vinte e nove. Por exemplo: Renato Russo compôs a canção “vinte e nove”, o Apartheid começou a mudar a África no dia vinte e nove, o Brasil venceu a primeira copa do mundo em 1958 no dia vinte e nove, Michael Jackson - Rei do pop e o pintor brasileiro, Candido Portinari, nasceram num dia vinte e nove...

Nesta data, vinte e nove de junho de 2010, dentre tantos fatos convenientes a destacar aqui, queria agradecer a Deus por ter me permitido, há alguns anos, o bilhete pra vir ao mundo, conhecer e conviver com pessoas maravilhosas que contribuíram e contribuem com grande importância na minha vida.

Só peço que o bilhete de volta, demore bastante pra chegar.


Luzimário Pires de Jesus, desde vinte e nove de junho de 1976.


Minha mãe, Helena Maria Pires e meu pai Luiz Antônio de Sousa de Jesus.



Um comentário:

Rosangela disse...

menino travesso:

Foi o jeito mais original, mais belo,mais criativo também,
de anunciar um aniversário que já lí.
Parabéns pelo texto e claro, pelo 29.
Que as suas linhas não sejam inveras
e principalmente que você possa brilhar muito entre elas ou sobre elas.
Que os anjos de conduzam na senda do bem, criando condições para que os Deuses possam realizar todos os seus sonhos.
E nada de se contentar com o que cai de oferenda, essa já era sua parte, já lhe pertencia por direito. Vai atrás do impossível,
só a energia da caminhada compensa qualquer desventura.
Sucesso de montão rsrsrsrs!!!!!

Com açúcar e com afeto
rosangela