quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Quando tu me chamares de amigo...



Quando tu me chamares de amigo...
Tenhas a certeza que desejas somente minha amizade,
Pois será o bem maior que terei a oferecer-te.

Quando tu me chamares de amigo...
Dai-me um abraço apertado, daquele
Que transportam as palavras e dizem:
“estava com saudade”.

Quando tu me chamares de amigo...
Olha-me nos olhos e percebes o brilho que irradiam
Pela emoção de ter a tua companhia.

Quando tu me chamares de amigo...
Não importa onde estejas e o tempo que demore,
Apenas acredite que eu irei chegar.

Quando tu me chamares de amigo...
Ainda que esteja distante,
minha voz soará aos teus ouvidos
a presença que tanto desejas.

Quando tu me chamares de amigo...
Nada, além da amizade, será mais importante.
Pois, o mais importante, já lhe foi concedido.

Quando tu me chamares de amigo...
Honra-me até o fim e sempre te honrarei.
Para que nunca percamos o verdadeiro
elo de amor, chamado ‘amizade’.
E pra sempre ser, meu e teu amigo!

(Mário Pires)

3 comentários:

O Divã Dellas disse...

Assim como o "eu te amo" a essência da palavra "amizade" está sendo banalizada. Infelizmente!

Amigo Mário Pires (Não vulgarizei a palavra, é que realmente considero-o um amigo)

Adorei o texto, ao tempo em que gostaria de convidar você para assistir conosco uma peça lá no Centro de Cultura João Gilberto com Renato Fechine. É uma peça hilária, divertida e com certeza você vai gostar. Amanhã às 20 horas.

Vamos ao teatro?!

Beijos, querido!!!

Verônica

Bendda Neves disse...

Lindo o poema... e quem tem um amigo de verdade tem um tesouro não é mesmo!

Fina disse...

Amigo é aquele que conhece o seu avesso, o seu pior lado, lhe escuta e entende, mesmo que muitas vezes não concorde.Feliz vidaaaaaaaaaaaa!!! Grande emoção nas letrinhas.beijos