quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Insônia


Abraço ao travesseiro
fecho os olhos
e não consigo dormir.
Na cabeça um turbilhão de coisas
que não me permitem sair.

Sair do meu corpo
entrar num sono profundo,
acordar de manhã,
ir conquistar o mundo.

O pensamento?
Esse já não flui do mesmo jeito.
Clareoou o dia... um dia perfeito.
Mas eis que gritam no meu inteior:
É o sono pedindo: deita-te por favor!

As palpebras pesam pelo caminho
pisco-as na intenção de ver-me cair.
E onde quer que eu esteja,
Dai-me um lençol para poder cobrir.

Quero-te meu sono
para em sonhos sentir a inspiração
flutuar pelos céus sempre azuis,
entre pássaros ser os olhos do falcão.

Abraça-me com carinho
aquece meu canto de dormir
Tira esta insônia do meu caminho.
Pensamentos, por favor, podes me ouvir?


5 comentários:

Fina disse...

Lindooooo!!!Lindooooo!!!Parabéns!!!
beijos

Akin 08 Iré... disse...

Emoção muito bem expressada, lindo...
Akin Oniré...

Akin 08 Iré... disse...

Sabia palavras de sentimo íntimo...

escritora e poetisa disse...

QUE ALMA LINDA VOCÊ TEM...
DESEJO QUE SUA LUZ BRILHE CADA VEZ MAIS COM INTENSIDADE.
ABRAÇO;
Zazy Gtrazyelly
ESCRITORA

O Divã Dellas disse...

Clap, clap, clap!! (Aplausos de pé)
Bravo! Bravo! Bravíssimo!!
Lindo poema! Quanta emoção implícita nele.

Adorei, Mário!!

Verônica