quinta-feira, 3 de abril de 2008

Caído ao chão...



Certa vez um pescador sentia que não era o mesmo.
buscava-se em meio a mil perguntas:
O que esta contecendo? O que fizera?
Em que lugar do caminho havia errado?

Sem respostas, conteve-se
em apenas olhar o tempo
tentar esquecer o lamento
e traçar novos afluentes.

Mas com que ferramentas
abrirei esse novo caminho? Perguntou.
As águas delineavam a sua face
atravessado nas linhas da correnteza.

A noite caía, e ele a encarava
Ouvindo sua musica preferida,
num "raidinho" de pilha, a beira do rio,
deitado no barco, admirando a lua
e vendo toda a beleza da natureza.

Preso em seus pensamentos,
no silencio do seu interior
e na calmaria dos ventos...
adormeceu.

Num sono profundo
sonhava que no seu mundo
tinha tudo que queria, ou pelo menos
tudo aquilo que precisava, que lhe dava paz,
sustento e alegria.

Mas eis que no meio de uma multidão
de atravessadores alucinados e mesquinhos
tentando manter seu espaço erguido,
sentia suas pernas bambas, tombando aos poquinhos.

Já dentro da queda perdida,
deseperado, acreditando ser sua partida,
ouvia uma voz dizendo: - Ergue-te!
Que muita labuta ainda tens nessa vida.

Sem ver de onde vinha aquela voz
tentou com todas as forças levantar
mas por muito tempo tentando,
não conseguia sair do lugar.

Percebendo que ele ficava na posição
a voz voltou a repertir:
Ergue-te! Mas com outra intenção
fazia-o ouvir:

-Veja o espaço à frente.
Perceba também que muitos estão como você.
Mas para sair deste lugar
você precisa entender:

É necessário mais do que vontade,
força, fé e determinação.
Coloque um pouco mais de coragem,
mude os planos, mas não páre não.

Colado ao chão frio ele gritava:
como posso sair dessa, se não tenho como levantar?
A voz imediatamente respondeu: Não precisa ter pressa!
Basta primeiro raciocinar.

Use correto, tudo o que você tem em mente
faça o melhor, e não abuse dos peixes e do rio.
Agindo assim, verás um novo tempo na sua frente
e sairás dessa mais forte... com mais brio.

Foi então que a voz sumiu e o pescador acordou.
No mesmo lugar, à beira do rio, no barco ele levantou.
Olhou a sua volta e viu que tudo ainda era o mesmo,
que um sonho o havia despertado do medo,
de findar no chão, sem nada mudar, totalmente preso.

Sem apavoração resolveu ficar acordado
esperando o dia nascer, pois como diz a própria bíblia
"o choro pode durar uma noite mas a alegria
vem logo ao amanhecer".

Sabe lá que destinos iria tomar o pescador?
Preservando ou não seus "mimos" e ocultando a dor.
Doravante sabia que tudo estava escrito...
seu futuro, seu rumo, seu teor.

[Mário Pires]

4 comentários:

Fidel, filho de BGG disse...

Pense numa paciência...

Orniliano disse...

Boa fio!

Anônimo disse...

"há algo diferente em cada olhar...
E em cada pessoa um geito de ver o mundo"... E eu gosto do seu geito de ver esse mundo...Pena que nem tudo é como queremos...



Adorei o que escreves-tes, vice* rsrsrs

VISSE!!

Beijos Mario Pires!

Núbia disse...

Adorei Mário, parabéns!! Por isso tenho orgulho de ser sua amiga!! Bjs.